... de Pernambuco, do Brasil e do Mundo! Descubra e compartilhe sua natureza.
  1. Mídias
  2. Thamnodynastes pallidus

Thamnodynastes pallidus

Publicado por Aléssio F.

no dia 13/07/2023

553 visualizações

0 comentário

Thamnodynastes pallidus

Uma nota está vinculada à imagem. Passe o mouse sobre a imagem para exibir a nota.

Escala do sujeito : não informado

Descrição

Thamnodynastes pallidus é uma serpente da família Dipsadidae com dentição de tipo opistóglifa. É uma espécie relativamente pequena apresentando uma distribuição descontinua, ocorrendo em florestas ombrófilas da Mata Atlântica do Nordeste do Brasil e na Amazônia. Thamnodynastes pallidus apresenta corpo bastante delgado, apresentando o menor número de fileiras de escamas dorsais dentro do gênero. Apresenta cabeça pequena e curta e olhos grandes com pupila elíptica (ver detalhe da cabeça na nota inserida na foto). Os indivíduos encontrados na população do Nordeste do Brasil são ligeiramente menores (48 cm) que os da população amazônica (54 cm) [1]. A espécie foi descrita por Linnaeus em 1758 sendo batizada originalmente como Coluber pallidus.

Thamnodynastes pallidus possui vários nomes populares dentre os quais cobra-corre-campo, cobra-do-mato, corredeira, jararaca-falsa ou jararaquinha. É importante notar que todos estes nomes também podem ser usados para outras espécies que apresentam características semelhantes. Apesar do seu nome remeter ao comportamento de deslocamento no solo, é uma espécie que também apresenta hábitos arborícolas, como pode ser verificado na foto. É uma espécie vivipara e de hábitos noturnos. Se alimenta preponderantemente de pequenos sapos e pererecas [2].

Apesar de ser considerada uma espécie não-peçonhenta, a mordida de Thamnodynastes pallidus pode causar inchaço na região da mordida e forte dor de cabeça. Os sintomas desaparecem normalmente após 36 horas [3]. Não é considerada uma espécie de serpente de interesse médico.

Registro realizado na APA Aldeia Beberibe no dia 3 de julho de 2023.

Marcadores do autor

10/10
4/10

Observações

[1Nóbrega, R. P., Montingelli, G. G., Trevine, V., Franco, F. L., Vieira, G. H., Costa, G. C., & Mesquita, D. O. (2016). Morphological variation within Thamnodynastes pallidus (Linnaeus, 1758)(Serpentes: Dipsadidae: Xenodontinae: Tachymenini). The Herpetological Journal, 26(2), 165-174.

[2dos Santos Protázio, A., dos Santos Protázio, A., Conceição, L. C., Ribeiro, A. C., & de Jesus Cruz, S. (2017). Thamnodynastes pallidus (Serpentes: Dipsadidae) predation on Boana semilineata (Anura: Hylidae) in fragment of Atlantic Forest, northeastern Brazil. Herpetology Notes, 10, 521-523.

[3Araújo, P. F. D., Silva, W. M. D., França, R. C. D., & França, F. G. R. (2018). A case of envenomation by neotropical Opisthoglyphous snake Thamnodynastes pallidus (Linnaeus, 1758)(Colubridae: Dipsadinae: Tachymenini) in Brazil. Revista do Instituto de Medicina Tropical de São Paulo, 60.

Comentar

Quem é você?

Pour afficher votre trombine avec votre message, enregistrez-la d’abord sur gravatar.com (gratuit et indolore) et n’oubliez pas d’indiquer votre adresse e-mail ici.

Inclua aqui o seu comentário

Este campo aceita os atalhos SPIP {{negrito}} {itálico} -*liste [texte->url] <quote> <code> e o código html <q> <del> <ins>. Para criar parágrafos, deixe simplesmente linhas vazias.

Apoie o Portal