... e do Mundo! Fotografe, localize, compartilhe!
  1. Bilateria

Bilateria

O clado Bilateria inclui todos os metazoários que apresentam corpos organizados em um eixo antero-posterior (ou sagital) fazendo com que possam, em sua grande maioria, serem divididos em duas metades simétricas. Os animais bilaterais, também chamados triploblásticos (Triploblastica) apresentam três camadas embrionárias - a endoderme, a ectoderme e a mesoderme. A mesoderme é considerada uma característica exclusiva do grupo, permitindo a evolução de corpos maiores e mais complexos do que em animais não-bilaterais. Alguns grupos de animais perderam a condição bilateral nas formas adultas, como os equinodermos, os quais apresentam simetria pentarradial, e também em gastropodes (Mollusca), os quais sofrem uma torção de seus corpos durante o desenvolvimento ontogenético. Muitos animais bilaterais apresentam uma concentração de estruturas sensoriais e células nervosas na extremidade anterior do corpo, promovendo um processo de cefalização [1].

Os primeiros animais bilaterais surgiram no final do período Ediacarano, entre 555 e 542 milhões de anos atrás, com uma grande e rápida irradiação adaptativa no Cambriano. Praticamente todos os principais filos de animais bilaterais já estão presentes em registros fósseis deste período. Muito provavelmente as maiores divergências de Bilateria (Protostômios-Deuterostômios e Ecdysozoa-Spiralia) ocorreram antes da fronteira Ediacarano-Cambriano [2].

Caracteres próprios de Bilateria:

  • Simetria bilaterial;
  • Eixo antero-posterior de organização corporal;
  • Processo de cefalização;
  • Aparecimento do mesoderme;
  • Formação de um sistema nervoso central;
  • Presença de genes da família Hox.

Observações

[1Baguñà, J., Martinez, P., Paps, J., & Riutort, M. (2008). Back in time: a new systematic proposal for the Bilateria. Philosophical Transactions of the Royal Society B: Biological Sciences, 363(1496), 1481-1491.

[2Parry, L. A., Boggiani, P. C., Condon, D. J., Garwood, R. J., Leme, J. D. M., McIlroy, D., ... & Liu, A. G. (2017). Ichnological evidence for meiofaunal bilaterians from the terminal Ediacaran and earliest Cambrian of Brazil. Nature ecology & evolution, 1(10), 1455-1464.

Contribuições (801)

Triar: por data, por popularidade | Exibir : 9 mídias, 15 mídias, 30 mídias por página
  • Socozinho

    Butorides striata é uma ave limícola da Família Ardeidae (Ordem Pelecaniformes). Esta espécie (...)

    Publicado em 24/10/2021

    18 visualizações

    0 comentário

  • Socó-do-mangue com seus filhotes

    O socó-do-mangue é uma ave limícola de médio porte da Ordem Pelecaniformes. Seu nome científico é (...)

    Publicado em 23/10/2021

    44 visualizações

    0 comentário

  • Vespas

    Vespas do gênero Polybia registradas no dia 17 de outubro de 2021 na APA Aldeia (...)

    Publicado em 21/10/2021

    19 visualizações

    0 comentário

  • Aranha caranguejeira

    Linda caranguejeira do gênero Lasiodora sp fotografada na FURB Jaguarana, Paulista. Esses (...)

    Publicado em 18/10/2021

    12 visualizações

    1 comentário

  • Besouro do fungo

    Besouro da família Erotylidae, táxon com forte relação com os fungos, desde a alimentação até a (...)

    Publicado em 18/10/2021

    6 visualizações

    0 comentário

  • Anfíbio

    Anfíbio fotografado na FURB Mata de Jaguarana, Paulista.

    Publicado em 18/10/2021

    4 visualizações

    0 comentário

  • Lagarta

    Lagarta fotografada no Campus da UFRPE, Dois Irmãos, Recife.

    Publicado em 18/10/2021

    5 visualizações

    0 comentário

  • Besouro serra-pau

    Esse é o besouro serra-pau da Família Cerambycidae, acredito que seja a espécie Nyssicus mendosus (...)

    Publicado em 18/10/2021

    4 visualizações

    0 comentário

  • Inseto urbano

    Inseto fotografado em residência da área urbana de Abreu e Lima.

    Publicado em 18/10/2021

    5 visualizações

    0 comentário

1 2 3 4 5 6 7 8 9 ... 89

Apoie o Portal